Burger King: prejuízo aumenta para R$ 162 milhões com impactos da Covid

O Ebitda, que mede o resultado operacional, ajustado ficou negativo em R$ 31,8 milhões, ante os R$ 13,9 milhões do ano passado (Imagem: Unsplash/@sizzzikova)

O prejuízo líquido do Burger King (BKBR3) subiu para R$ 162 milhões no primeiro trimestre de 2021, ante os R$ 55,6 milhões do mesmo período de 2020, aponta documento divulgado ao mercado nesta quinta-feira (6).

A receita líquida caiu 13%, indo a R$ 562 milhões.

“Durante o primeiro trimestre de 2021 sofremos impactos mais severos da pandemia quando comparado ao primeiro trimestre de 2020”, afirma.

O Ebitda, que mede o resultado operacional ajustado, ficou no vermelho em – R$ 31,8 milhões, ante os R$ 13,9 milhões do ano passado.

Ao longo do período, a companhia efetuou a abertura líquida de seis lojas, sendo sete aberturas (três BK’s próprios, 3 BK’s franqueados e 1 Popeyes) e o encerramento de uma franquia.

A empresa fechou o primeiro trimestre com total de 866 restaurantes da marca Burger King e 45 restaurantes Popeyes.

Digitalização

Na tentativa de amenizar o prejuízo, a empresa segue sua expansão no digital. As vendas nesse canal subiram 121%, totalizando R$ 161,9 milhões, o que representou 29% da receita.

O delivery teve alta de 142%, crescimento de 13,7 pontos percentuais, representando mais de 70% das vendas digitais.

Veja o documento:

Fonte: Money Times

Por Million Makers

Portal de educação financeira e notícias.

Posts Relacionados

Swing trade: Como realizar esse tipo de investimento

Por Million Makers

Day trade: Entenda como funciona esse tipo de investimento

Por Million Makers

O que são ETF (Exchange Traded Funds)?

Por Million Makers