O que é CDI e como essa taxa impacta os investimentos?

O CDI é uma taxa que serve como referência para a rentabilidade uma série de ativos, especialmente os de renda fixa. Apesar de ser um temo muito comum dentro do mercado financeiro, essa taxa gera uma série de dúvidas entre os investidores e nesse sentido é importante compreender bem como ela é definida.

Há também quem confunda o CDI com a taxa Selic. Apesar dessas duas taxas possuírem uma certa relação, elas não são a mesma taxa. Dessa forma, para saber se os investimentos atrelados ao CDI são uma boa escolha é importante entender como ele funciona.

O que é CDI?

O que é CDI

CDI é a sigla para Certificado de Depósito Interbancário. Esse certificado é um título emitido pelos bancos comerciais que atuam no Brasil para realizar empréstimos entre si. Esses empréstimos tem duração de apenas um dia e se realizam para que os bancos não fechem o dia com saldo negativo, algo proibido pela legislação brasileira, regida pelo Banco Central.

Dessa forma, a taxa média dos empréstimos realizados no sistema interbancário formam a taxa de CDI média diária. Portanto, o se calcula o CDI diariamente e a soma dessas taxas diárias formam o CDI mensal e consequentemente o anual.

Por que o CDI é importante?

Para responder porque o CDI é importante, é necessário entender o que gera a necessidade dos empréstimos interbancários. Os bancos precisam tomar esses empréstimos quando o volume de saques é maior que o volume de depósitos durante o dia.

Dessa forma, o CDI é importante para o funcionamento do sistema financeiro nacional porque ele permite que os bancos possam operar com liberdade durante o dia e consigam honrar os saques de seus clientes. Nesse sentido, há uma cooperação mútua entre os bancos comerciais a partir desses empréstimos.

O valor do CDI é igual à taxa Selic?

Uma dúvida muito comum entre os investidores é se o CDI é a mesma coisa que a taxa Selic ou ainda se os valores são idênticos. Dessa forma, é preciso esclarecer que CDI e Taxa Selic são coisas diferentes.

A taxa Selic é a taxa básica de juros e a sua meta se define pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central. Ou seja, ela não possui nenhuma relação direta com o CDI, essas duas taxas se definem de forma totalmente diferentes.

Contudo, os valores dessas duas taxas tendem a convergir. Esse fato ocorre, porque em relação aos empréstimos interbancários, caso a taxa desses empréstimos esteja mais alta que a Selic, os bancos irão preferir vender títulos públicos para o Tesouro para se financiar. Ao passo que caso o CDI esteja abaixo da Selic, os bancos irão preferir comprar títulos públicos ao invés de emprestar no interbancário.

Dessa forma, a taxa Selic acaba servindo como referência para os empréstimos interbancários realizados via CDI e por isso as taxas acabam sendo parecidas. Para se ter uma ideia da proximidade das duas taxas, a Selic meta em dezembro de 2019 estava em 4,50%, enquanto o CDI estava em 4,40%.

Como o CDI impacta os investimentos?

O CDI é utilizado como taxa de referência para uma série de investimentos, especialmente em renda fixa. Dessa forma, o valor aplicado pelo investidor em um título cuja rentabilidade é 100% do CDI, por exemplo, irá ter rendimentos exatamente iguais ao CDI para o período em que o investidor estiver em posse do título.

Contudo, vale ressaltar que alguns desses ativos são isentos de imposto de renda e outros não. Nesse sentido, LCI, LCA, CRI e CRA são isentos de imposto de renda, então se você investir R$ 1.000,00 em um LCI e o CDI do período for de 5%, o valor creditado na sua conta será de R$ 1.050,00 livre de impostos. Caso, o investimento sejam em CDB ou LC, incidirá IR sobre os rendimentos do ativo seguindo a tabela regressiva de imposto de renda.

Principais investimentos atrelados ao CDI

Os principais investimentos indexados ao CDI são os investimentos de renda fixa privada. Cada um desses investimentos possuem as suas especificidades e é importante conhece-las. Entre os principais desses investimentos estão: LCI, LCA, LC e CDB.

LCI e LCA

LCI e LCA são as siglas para Letra de Crédito Imobiliário e Letra de Crédito do Agronegócio, respectivamente. No caso do primeiro ativo, capta-se o valor a partir da comercialização desses ativos que se destina para financiar atividades de construção civil, no segundo o dinheiro arrecadado e se destina para financiar as atividades do setor agropecuário.

Esses ativos podem ser tanto pré ou pós-fixados. No primeiro caso, a taxa final de rentabilidade se estipula antes, no segundo caso a rentabilidade se atrela ao CDI. Sendo assim, uma LCI pós-fixada a 100% do CDI irá rentabilizar exatamente o valor do CDI com relação ao valor aplicado. Além disso, vale ressaltar que esses ativos são isentos de impostos de renda.

LC – Letra de Câmbio

As letras de câmbio apesar do nome sugerir que se atrelam ao mercado cambial servem para abastecer o mercado de crédito livre. Dessa forma, os bancos emitem essas letras e comercializam com o público para levantar capital e emprestar para indivíduos ou empresas.

Assim, como no caso das LCI e LCA, as LCs podem ser pré-fixadas ou pós-fixadas, sendo que no segundo caso a rentabilidade se atrela ao CDI. A principal diferença é que no caso desse ativo existe uma tributação referente à imposto de renda. Dessa forma, o investidor terá o desconto de IR do lucro auferido que pode ir de 22,5% a 15%, a depender do duração do ativo.

CDB – Certificado de Depósito Bancário

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é o certificado que serve para o banco se financiar com o público. Dessa forma, o banco capta dinheiro no mercado a partir dos CDBs para alimentar as suas carteiras de crédito. Dessa forma, esse capital pode se destinar a destinos diversos, empréstimos pessoal, financiamentos, entre outros.

Esses ativos também podem ser pré ou pós-fixados, e sendo pós-fixados são atrelados ao CDI. O vencimento desses ativos pode variar bastante, há CDBs de curto prazo e também de longa duração, como vencimentos em 5 anos ou mais. Assim como as LCs, os CBDs tem a incidência de imposto de renda. Dessa forma, será descontado o valor de 22,5% a 15% a depender do período em que o investidor manter o ativo.

Quando é vantajoso investir em ativos indexados ao CDI?

Os ativos indexados ao CDI são geralmente ativos pós-fixados, ou seja, a taxa de rendimento pode variar durante o período em que o investidor tiver seu capital aplicado nesse ativo. Dessa forma, como o CDI é uma taxa que utiliza a Selic como referência, é interessante investir nesse ativo quando a expectativa do investidor seja de alta na Selic.

No cenário recente da economia brasileira, vive-se uma conjuntura de juros reduzidos. Dessa forma, esse tipo de investimento acabou perdendo espaço, sobretudo para o mercado de renda variável e outros de renda fixa como Fundos Imobiliários. Mas essa ainda pode ser uma opção para investidores que desejam investir em ativos com baixo risco.

Investimento garantido pelo FGC

Uma vantagem que os ativos que são indexados ao CDI possuem é que eles possuem proteção pelo FGC, o Fundo Garantidor de Crédito. Esse fundo ele concede uma espécie de seguro para os investidores que compram os seguintes ativos de renda fixa e que na maioria das vezes está indexada ao CDI:

  • LC – Letra de câmbio
  • LCI – Letra de crédito imobiliário
  • LCA – Letra de crédito do agronegócio
  • CDB – Certificado de Depósito Bancário

Caso o banco emissor desses ativos chegue à falência, o FGC garante o valor investido para o investidor no limite de R$ 250.000,00. Dessa forma, esse tipo de investimento, além de possuir uma rentabilidade mais previsível possui esse mecanismo que protege o investidor de uma possível falência da instituição financeira.

Os ativos citados acima são bastante comuns tanto em corretoras quanto em grandes bancos, portanto, são comuns a uma parte grande da população. Todavia, vale ressaltar que em geral nos grandes bancos as taxas são menores. Dessa forma, a garantia do FGC é positiva para dar mais segurança aos investidores para comprarem títulos de renda fixa de bancos menores.

CDI alto é bom ou ruim?

Em um primeiro olhar, o investidor pode entender que quando o CDI está alto é algo bom dado que os seus investimentos atrelados a essa taxa irão render um valor maior. Todavia, a alta dessa taxa é um sinal negativo para alguns aspectos da economia, em particular a inflação.

A alta do CDI é um sinal de que a Selic também subiu, portanto, é um movimento de alta da taxa de juros no mercado de crédito como um todo, o que mostra que o custo do dinheiro está alto. Em geral, a taxa Selic é elevada quando a economia está com risco inflacionário e, portanto, esse movimento serve para conter a demanda.

Nesse sentido, essa política monetária restritiva pode significar uma queda do ritmo da economia. Por sua vez, os investimentos atrelados ao CDI podem inclusive ser uma forma de se proteger contra a inflação, dado que caso haja risco do aumento desse índice, a tendência é o CDI subir.

Considerações finais

Os investimentos atrelados ao CDI foram os investimentos mais atrativos do mercado financeiro durante um longo período de tempo. A partir da queda das taxas de juros, essas aplicações acabaram fazendo com que os investidores migrassem para aplicações com risco um pouco maior no mercado de renda variável.

Contudo, os investimentos indexados ao CDI ainda são buscados como uma forma de proteção da carteira. Tanto pelo fato desses ativos possuírem uma baixa volatilidade e também porque podem servir como proteção para um aumento da inflação.

Nossa indicação é estar coberto por uma Assessoria de Investimentos, na qual fará um estudo completo do seu perfil e objetivos. O Assessor conhecendo exatamente seu perfil e sabendo o que você pretende com o seu dinheiro no futuro, poderá te instruir de forma exclusiva quanto a sua estratégia.

Por James Grenfell (Green)

Desde os 18 anos de idade vem trabalhando no meio de investidores na Bolsa de Valores, e com isso adquiriu muito conhecimento com a convivência. Hoje James Green tem 32 anos, é investidor, colunista em portais econômicos e possui seu próprio canal no YouTube, onde passa seu conhecimento para o máximo de pessoas possível. INSTAGRAM: @jamesgreenoriginal FACEBOOK: @jamesgreenoficial YOUTUBE: /jamesgreenoriginal

Posts Relacionados

Taxa Selic: O que é e como funciona

Por James Grenfell (Green)

Debêntures: O que são e como funcionam esses ativos?

Por James Grenfell (Green)

Tesouro Direto: O que é e como funciona

Por James Grenfell (Green)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *